*Foto capa: Zanone Fraissat/Folhapress

A Experiencialize tem o objetivo de incentivar as ações de Marketing de Experiência nas empresas, independentemente do tamanho. E quando a experiência agrega um propósito à inclusão, é de se admirar e colocar em destaque para que o maior número de pessoas conheça. Encontramos um Café pra lá de especial, cuja história temos o maior prazer e compartilhar com os leitores do blog. Confira aqui o conteúdo publicado pelo Renato Salles no blog SP 24 horas.

O cardápio na lousa tem só quatro opções para escolher: respeito, oportunidade, amor e inclusão. O preço é sempre o mesmo, corações. Nesse novo café em plena Rua Augusta, o que importa é a inclusão. Por isso, o Chefs Especiais Café, dá o exemplo na equipe. Os atendentes todos são portadores de Síndrome de Down.

Instituto Chefs Especiais é uma ONG que sempre trabalhou na qualificação profissional de pessoas com Down na área gastronômica, para provê-los com autonomia e oportunidades. O objetivo do café é justamente ter um lugar onde toda a experiência é colocada em prática na vida real.

O balcão de atendimento do Chefs Especiais Café - foto: Renato Salles
O balcão de atendimento do Chefs Especiais Café – foto: Renato Salles

No balcão de atendimento, chamam a atenção a dedicação e a felicidade dos atendentes. Eles trabalham na instituição a mais tempo, e por isso foram chamados para trabalhar lá desde o início.

Leia também: Porque Vender Experiências e Não Apenas Produtos

O café conta com vários parceiros. O espaço foi cedido na entrada do restaurante Como Assim? Inclusive, Tedd Albuquerque, vai deixar de servir café e sobremesa na sua cozinha para integrar ainda mais o café. Outra parceria importante foi do motoclube In’Omertá, que forneceu o uniforme dos meninos. Eles trabalham de colete de couro e bandana na cabeça, como verdadeiros motociclistas. Segundo a Simone, diretora da ONG, o visual do café serve para tirar aquela cara de coitadinhos para os trabalhadores, e dar um ar de independentes e durões. ‘São os meus bad boys‘, ela disse. Mas isso não quer dizer que o café é assistencialista. Apesar se ser de uma ONG, o café é também um negócio, que visa o lucro como forma de recompensar os funcionários com salários dignos e ajudá-los a prosperar.

Rodrigo, Simone e Murilo, um timaço à frente do Café - foto: Renato Salles
Rodrigo, Simone e Murilo, um timaço à frente do Café – foto: Renato Salles

Eles também oferecem cardápio em braile, para os cegos. A escolha da Rua Augusta foi justamente por ser um centro agregador de tribos. Simone enche a boca para dizer que quer ver o café bombar com pessoas com Down, cegos, cadeirantes, brancos, negros, novos, velhos, homens, mulheres, trans e drag queens.
Hoje, em cada 400 nascimentos, 1 tem a ocorrência da Síndrome. Essas pessoas têm uma expectativa de vida de 60 anos, bem maior do que até pouco tempo atrás. O Chefs Especiais Café é uma iniciativa de inserir essas pessoas na sociedade, de aumentar sua representatividade, desenvolver suas habilidades e valorizar seus talentos. A iniciativa, o ambiente e os atendentes são todos tão incríveis, que vale a pena bater cartão lá só para interagir com aquela turma.

Uma sexta bem agitada no Chefs Especiais Café - foto: Renato Salles
Uma sexta bem agitada no Chefs Especiais Café – foto: Renato Salles

 

DESCUBRA

OS 7 PASSOS PARA AUMENTAR SUAS VENDAS 

CRIANDO UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA PARA SEUS CLIENTES.

BAIXE O E-BOOK GRATUITO