O mundo é percebido através dos cinco sentidos. Pensando nisso, estudiosos de comunicação e mercadologia perceberam que é possível realizar ações estratégicas utilizando muito mais que apenas a visão e a audição.

Ao desenvolver técnicas para aplicar campanhas aproveitando todas as formas de percepção, foi criado o Marketing Sensorial.

Essa prática pode parecer algo muito simples, mas é preciso compreender bem como funciona para que você consiga alcançar os resultados desejados. Por isso, continue a leitura e entenda mais sobre o assunto!

O que é Marketing Sensorial?

A palavra-chave que define essa prática mercadológica é estímulo. Ele serve para provocar as sensações do público-alvo por meio dos sentidos — visão, audição, tato, olfato e paladar — induzindo o consumidor à compra.

Em alguns casos, como no da Coca-Cola, o objetivo é despertar o desejo imediato pela bebida através da tonalidade exclusiva de vermelho. Outras vezes, a ideia é gerar um relacionamento mais próximo com o consumidor.

Por isso, a ação é mais indireta, como ajustar a temperatura de uma sala para gerar mais conforto, proporcionando, assim, um aumento na confiança do público-alvo.

Como explorar cada sentido?

Não importa se você vai gerar ações diretas ou indiretas com objetivos a curto ou longo prazo. O que realmente faz a diferença é compreender como cada um dos sentidos humanos pode responder aos estímulos provocados. Saiba melhor como cada um deles funciona.

Visão

Por ser o sentido mais acessado durante a maior parte do tempo, ele é também o mais explorado pelas ferramentas e ações de marketing. A disputa pela atenção dos olhos do consumidor é muito grande.

Por isso, é preciso que a sua marca consiga despertar o interesse em uma fração de segundo. Foi o que a Coca-Cola fez ao patentear o icônico tom de vermelho.

Audição

Se a visão é considerada um sentido principal, a audição é o primeiro auxiliar. Ela conquista o consumidor de uma forma mais indireta e sutil. Essa é a razão pela qual a maioria das lojas tem algum tipo de música tocando ao fundo.

Tato

O sentido responsável pela sensação de conforto é exatamente o que precisa ser estimulado para gerar confiança entre uma marca e o seu consumidor. E nem é necessário que haja toque para conseguir aplicar Marketing Sensorial através do tato. Basta ajustar a temperatura do ponto de venda.

Olfato

Ainda mais sutil que o tato, o sentido comandado pelo nariz é capaz de despertar as mais antigas memórias. É dessa forma que a indústria alimentícia consegue provocar desejos que nem você sabia que tinha.

Por causa dessa sutileza, entretanto, é necessário muito cuidado na hora de escolher os aromas que deverão ser utilizados como Marketing Sensorial.

Paladar

Não é preciso atuar no ramo da alimentação para despertar desejos pelo paladar. Qualquer tipo de negócio que ofereça um chá com biscoitos durante o atendimento já está estimulando esse sentido.

Trata-se de uma forma bastante agradável de gerar aproximação. E é justamente esse um dos maiores objetivos da maioria das empresas do mundo!

Isso é o mesmo que Marketing de Experiência?

Não. Trata-se de práticas complementares, que agregam valor uma a outra, otimizando os resultados finais. Mas não são exatamente a mesma estratégia.

Quando falamos de Marketing Sensorial, estamos lidando com uma comunicação sutil e aparentemente desinteressada, que conquista o cliente sem a necessidade de um esforço de venda muito grande.

Já o de Experiência acompanha o público-alvo durante todo o relacionamento com a marca, apresentando uma abordagem mais agressiva e direta ao ponto.

Agora que você já sabe como aplicar técnicas de Marketing Sensorial ficou muito mais fácil compreender de quais maneiras você pode provocar seu público para atingir os mais variados objetivos.

Conheça os métodos práticos e inovadores de Marketing da Experiencialize! Entre em contato conosco e saiba mais!

Compartilhe

 

DESCUBRA

OS 7 PASSOS PARA AUMENTAR SUAS VENDAS 

CRIANDO UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA PARA SEUS CLIENTES.

BAIXE O E-BOOK GRATUITO